quarta-feira, 12 de dezembro de 2007

na real

.
e você acha q sabe

em duas horas perdidas dentro de um teatro
se pode confrontar todas as suas certezas

em meia hora perdida, lendo alguma coisa
se pode encontrar a resposta q tanto procura
e mudar toda a sua vida.

em cinco minutos
escutando uma música q nunca escutou antes
pode mudar todo seu conceito de vida

em apenas um minuto observando uma imagem
se pode mudar todo seu conceito de beleza

uma pessoa ignorante não é a q não conhece
não é a q não sabe
ignorante é a q não tem curiosidade
é a q não quer conhecer

cai na real...
tudo q você acredita q sabe
foi alguém q ensinou
e tudo q você acredita ter criado
e sente orgulho disso
alguém já disse antes
só q você não conhece

só conhecendo o passado se pode inovar no futuro...
e tudo isso, neste texto
já foi dito por outra pessoa antes...
eu não sou capaz de fazer melhor...
a diferença é q eu sei e admito isso.

segunda-feira, 3 de dezembro de 2007

tanto

.
mesmo depois de tudo
ainda há tanto pra se dizer
vozes sem palavras
gestos sem movimento
coisas q só calado posso dizer

mas
quanto disso é verdade?
quanto disso ainda tenho em mim?

só tua voz já me faz sentir melhor
quando não dá mais pra mim
só assim posso me reerguer
e seguir até quando eu puder

mesmo explicado tudo
e retrucado tudo
ainda há tanto a se dizer
gestos sem palavras
vozes sem movimento
coisas q só aos gritos se pode esconder

mas
quanto disso é verdade?
quanto disso ainda temos em nós?

se eu não puder estar com você
te peço pra não me esquecer
e pra sempre esconder
q ninguém possa saber
tudo q a gente sente

tenta me entender

e se eu não soltar da tua mão
te peço perdão

sexta-feira, 26 de outubro de 2007

2

.
queria te contar de 1 viagem q eu fiz
de 1 festa q eu fui
e como você teria gostado
queria te contar o q eu andava pensando
de 1 uma coisa q eu vi
queria tanto te mostrar

e sentar pra gargalhar
beber 1 vinho pra esquecer o frio q faz
quando a gente não sabe o q quer
e se permite querer demais
perde a noção do q se faz
e a fila, às vezes, anda pra trás

eu só espero q vc esteja bem
onde vc estiver
eu só espero q vc fique bem
com as escolhas q vc fizer

quarta-feira, 26 de setembro de 2007

livre arbítrio

.
se eu escrevo e...
quando escrevo recrio todo o universo
e modifico um sentimento...
invento e destruo vidas...

destas palavras eu sou pai
delas eu sou deus
um deus ateu...

mas os poemas são livres
e eu nunca sei como eles vão acabar

e essa liberdade
nas mãos de leitores mal intencionados
a gente nunca sabe q merda vai dar

quarta-feira, 19 de setembro de 2007

o toque

.

... mas e quando vc gosta...

se odeia suas opinões

odeia suas atitudes

repreende suas conversas

e é contrário as suas decisões...

mas vc gosta

do toque...

das mãos...

do corpo... quando encosta... quando encontra...

mas não admite sua teimosia

sua arrogância...

sua personalidade...

... mas e quando vc gosta...

e o seu carinho é bom...

e ficar perto é bom...

mas... é toque então

é TOC então.

terça-feira, 4 de setembro de 2007

se eu passasse por mim

.
Se eu passasse por mim diria tudo bem?
Se eu me visse de passagem, acenaria?
Se eu me encontrasse por aí, perguntaria como foi o meu dia?
Se eu sentasse ao meu lado ficaria mudo?
Se eu piscasse pra mim, eu me apaixonaria?
Se eu me convidasse pra sair, eu aceitaria?
E se rolasse um clima, eu me beijaria?
E depois, o que aconteceria?

E se eu me visse partir, o que eu sentiria?
Se eu me visse na rua, eu riria?
E se eu jurasse amor eterno, será que eu me trairia?
E se eu saísse da minha vida,
Será que eu choraria?
Até quando eu me lembraria?
Se eu passasse por mim, eu me notaria?

Se eu ficasse irritado comigo
Até quando eu me ignoraria?
E se eu voltasse correndo, eu me aceitaria?
E se, chorando, eu me pedisse um carinho,
Eu, sorrindo, me daria?
E se eu quisesse desabafar, eu me ouviria?

Por que eu não estou aqui do meu lado?
Se eu passasse por mim
Eu fingiria que nem vi!

terça-feira, 21 de agosto de 2007

na pré-escola

.
foi na pré-escola

lembro q, num ato nazista, minha professora botou todos os alunos em círculo...
e só saía do círculo quem conseguisse amarrar seus cadarços.

eu não sabia amarrar
e
sempre q sou obrigado a fazer algo q não gosto
ou não concordo
faço de tudo pra incomodar... irritar
sempre fui assim

eu ficaria 3 dias naquela roda
fazendo de conta q não aprendi
só pra mostrar, dessa forma torta,
o quanto eu achava idiota essa idéia.

e fui, realmente, o último a sair.
na verdade
ficamos eu e uma coleguinha.

ficávamos nos olhando
envergonhados pela situação...
enquanto os outros ficavam olhando
como hienas
só esperando... rindo... esperando a professora dar as costas pra nos atacar.

eu continuava firme
no meu plano de não conseguir realizar a tarefa. firme. teimoso.

mas
minha coleguinha finalmente conseguiu...

eu odiava todas as pessoas naquela sala, naquele momento.
(por isso sou contra armas de fogo... eu teria matado a todos)

foi quando essa minha colega
ao invés de sair e festejar seu feito
a conquista de nunca mais precisar de ninguém pra amarrar seus tênis
de poder, sozinha, calçar e seguir seu destino...
sentou-se na minha frente
pra mostrar como era fácil
pra me ajudar

foi assim q eu conheci meu primeiro amor
minha inesquecível primeira paixão

nem sei se foi exatamente assim q aconteceu...
só sei q é essa a imagem q eu guardo dela...
pra sempre

domingo, 19 de agosto de 2007

futilidades

.
hoje eu vi um homem morto...
e eu ri
ele estava morto e nú
e eu achei graça

nú e morto
jogado sobre um carro
assim como um mosquito esmagado no parabrisa. igual.

eu tinha uma canção na cabeça
e um destino...
eu aumento o volume e...
do q eu estava falando??

terça-feira, 14 de agosto de 2007

irremediável

.
inadiável
como o primeiro cigarro da manhã
tão completo
quanto um café de acompanhante

tão descartável
quanto um filtro velho... babado...
a cinza de 1 amor q queima irremediavelmente
e voa com o vento

tão confuso...
quanto a vontade de parar...
mas tão intenso
quanto a última tragada
e a saudade do q ainda pode vir

domingo, 12 de agosto de 2007

filtro...

.
vc disse hoje q gosta da minha voz.
eu não gosto.

vc já ouviu uma mesma música em aparelhos diferentes... deve ter percebido q um mesmo som soa diferente em outras caixas de som.

então como podemos imaginar q uma mesma voz possa soar igual em diferentes ouvidos?
q funcionam como conchas acústicas em formatos diferentes
como podemos dizer q ouvimos o mesmo som?

se eu gosto de azul e vc não...
será q vemos a mesma cor?
sim
o nome dela é azul.
mas os olhos são filtros de luz... em formatos e cores diferentes...
o azul q eu vejo não é o mesmo azul q vc vê.

aliás
prefiro o branco... q é a soma de todas as luzes... mas acho q mesmo essa nós vemos diferente...

nosso corpo é um filtro
só ouvimos, só vemos e só sentimos o q somos capazes...
aquilo q estamos abertos a perceber